Apresenta .


26 views
Uploaded on:
Category: Travel / Places
Description
PANORAMA DO DESCARTE DE AREIAS DE FUNDIÇÃO. APRESENTAÇÃO DA PROBLEMÁTICA E SOLUÇÕES PROPOSTAS. Preparado por: Fábio Garcia Filho (Fagor Ederlan Brasileira) e Raquel Luísa Pereira Carnin (Tupy Fundições Ltda). OBJETIVOS. Objetivo desta Apresentação:
Transcripts
Slide 1

Scene DO DESCARTE DE AREIAS DE FUNDIÇÃO APRESENTAÇÃO DA PROBLEMÁTICA E SOLUÇÕES PROPOSTAS Preparado por: Fábio Garcia Filho (Fagor Ederlan Brasileira) e Raquel Luísa Pereira Carnin (Tupy Fundições Ltda).

Slide 2

OBJETIVOS Objetivo desta Apresentação: Apresentar o Trabalho que está sendo desenvolvido pela ABIFA (Associação Brasileira de Fundição). Não viemos aqui protector a Liberação ou o Abrandamento da postura de controle sobre as AFFD pelo contrário, buscamos melhorar o controle.

Slide 3

Objetivos do Trabalho: Mostrar para as Empresas que somente o conhecimento e controle sobre as AFFD poderão tornar eficazes as soluções existentes. E que sem isso não há luz no fim do túnel para o problema que é de toda a sociedade. Mostrar para os Órgãos Ambientais e a sociedade que eles estão certos em sua postura de precaução (Ambiental e Legal), mas que também somente que somente o apoio ao Desenvolvimento e Aprimoramento das Regras; Normas ou Leis irá Solucionar o Problema que é de todos Porque : Da maneira que está hoje é pior para o Meio Ambiente; Empresas e Órgãos Ambientais!

Slide 4

Obter e compilar dados sobre a situação das AFFD (estudos técnicos; quantidades; tipos de classificações; entre outros). Promover a discussão e o desenvolvimento tecnológico sobre as soluções, suas características; habilidades; vantagens;etc.

Slide 5

Principal Ponto do Trabalho: Criar nas Empresas a cultura de conhecer o seu maior resíduo, porque só assim poderá desenvolver métodos eficientes para poder destinar as AFFD de modo a minimizar seus impactos ao Meio Ambiente e consequêntemente seus custos.

Slide 6

O Brasil é um dos grandes produtores de peças em Ferro Fundido e cada vez mais avança neste mercado porque possui matéria prima, tecnologia e mão de obra qualificada. A produção atual é cerca de 2.400.000 toneladas/ano gerando 52.000 empregos diretos e 200.000 indiretos.

Slide 7

A quantidade de areia descartada é de aproximadamente 1.800.000 toneladas por ano. An ABIFA com lideranças das Fundições TUPY e FAGOR está realizando um trabalho a nível nacional para confirmar dados que atualmente são estimativas sobre a situação da geração e destinação das AFFD.

Slide 8

Processo de Geração

Slide 9

Origem da Matéria-prima São cavas exploradas por grandes multinacionais do setor de MINERAÇÃO Obs.: An areia utilizada para Fundição de Ferro corresponde a cerca de 15% do volume explorado por estas empresas e está na superfície. Ou seja, esta areia teria de ser retirada de qualquer maneira

Slide 10

FORMULAÇÃO BÁSICA: Moldagem: Areia, bentonita, pó de carvão - Macharia: Areia, Resina Fenólica, Catalizadores Classificados pela Norma NBR 10004em sua grande maioria como Classe II-A por ter principalmente como elementos solubilizados Manganês, Ferro, Alumínio, e em pouquíssimos casos Fenol, Metais, Sódio. Possui em geral grande proporção de Sílica (SiO 2 ) – 60 a 95% e também óxidos de ferro, alumínio. Em menores proporções outros óxidos como cálcio, sódio, potássio, manganês, magnésio, fósforo. As areias de moldagem representam em geral cerca de 80% dos resíduos do processo de fundição.

Slide 11

AFFD

Slide 12

Molde O que é? É um vazio produzido pela compactação da areia a verde no modelo, que por sua vez é o negativo da peça (fundido). É onde se vaza o ferro líquido que, ao solidificar-se, toma a forma que nela se encontra. MOLDES

Slide 13

Macho O que é? Também chamado de núcleo de areia, é um corpo de areia endurecido por aquecimento (calor – chama a gás ou resistência elétrica) ou por reação química de resinas. Para que serve? Serve para fazer as cavidades internas (partes ocas) e também externas da peça. MACHOS

Slide 14

Conflitos com a NBR 10.004

Slide 15

Análises Ambientais (Solubilização) das matérias-primas constituintes da AFF An AFF-Virgem (sem passar pelo processo de fundição) apresenta alumínio e ferro acima do permitido; As bentonitas ativada e normal também apresentam alumínio e ferro acima do permitido; O pó de carvão apresenta manganês acima do permitido. Então pode-se concluir que as próprias matérias-primas da AFF são consideradas resíduos Classe II A.

Slide 16

Análises dos Solos de Joinville Foi realizado um estudo para classificar ambientalmente os performances de Joinville; Foram coletados performances de sete bairros de Joinville conforme indicação da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Santa Catarina; Os resultados mostraram que quatro bairros apresentaram os seguintes elementos acima do permitido da NBR 10.004: alumínio e ferro, sendo que um solo apresentou cromo acima do permitido pela legislação. Conclui-se com este estudo que estes bairros de Joinville são considerados resíduo Classe II-A.

Slide 17

Análises dos Corpos de prova de Concreto Asfáltico com AFFD An areia utilizada em concreto asfáltico apresenta ferro e alumínio acima do permitido na NBR 10.004; O ligante asfáltico atende a legislação, assim como os corpos de prova contendo 15% de AFFD. Então pode-se concluir que o ligante asfáltico aprisiona os elementos que estão acima do permitido fazendo com que estes elementos não sejam solubilizados – tornando o concreto asfáltico contendo AFFD inerte.

Slide 18

Análises dos Corpos de prova de Concreto Asfáltico com AFFD "Envelhecidos" Os corpos de prova Envelhecidos contendo areia "virgem", ou seja, areia utilizada em pavimentação apresentaram alumínio acima do permitido; Os corpos de prova Envelhecidos contendo AFFD também apresentaram alumínio acima do permitido.

Slide 19

Ensaios de Toxicidade Aguda Os ensaios ecotoxicológicos realizados em corpos de prova de concreto asfáltico contendo até 15% de AFFD mostraram que não apresentam efeitos tóxicos; Ensaios dos corpos de prova de concreto asfáltico envelhecidos com AFFD também não apresentaram efeitos de toxicidade. O envelhecimento dos corpos de prova são de um período de até 8 anos. Este ensaio foi realizado na UNICAMP.

Slide 20

FATOS A RESPEITO DA AFFD

Slide 21

FATOS A RESPEITO DA AFFD Existe um grande preconceito contra an AFFD em razão de seu aspecto e dos volumes acumulados, o que provocam aparência de degradação das áreas. As análises realizadas em locais onde são dispostas somente AFFD, mostram que essas não provocam contaminação do solo. Dados de Percolado em área de deposição de AFFD: Estima-se que mais de 90% das AFFD tem estas características

Slide 22

O que aconteceu em alguns lugares é que junto com an AFFD foram depositados outros materiais que continham contaminantes. Estes materiais, misturados aos grandes volumes e an aparência das AFFD fazem com que essas sejam consideradas as "vilãs" pelas contaminações. Os estudos realizados pela ABIFA irão comprovar que mais de 90% das AFFD são classificadas como classe II - não perigosos ( e por isso podem ser descartadas em aterros classe II licenciados ) porque possuem basicamente Al; Fe e Mg acima do valor máximo permitido. Esses elementos químicos são naturais dos performances brasileiros, em quantidades muitas vezes superiores as encontradas nas AFFD e, comprehensive, apresentam teores superiores aos valores máximos permitidos . ( Exemplos de Joinville) Por isso é imprescindível que as empresas classifiquem as AFFD de acordo com as normas e as separem para que possam ser destinadas de maneira eficiente e ou utilizadas como subproduto.

Slide 23

ESTÁ MAIS DO QUE COMPROVADO TECNICAMENTE ( através de diversos estudos comprehensive no Brasil e experiências no Exterior ) QUE AFFD É EFICIENTE PARA SUBSTITUIR AREIAS DE RIOS E CAVAS NORMALMENTE UTILIZADAS NAS COMPOSIÇOES DE ASFALTO E ARTEFACTOS DE CONCRETO. Obs: Vale lembrar que as areias de rios normalmente utilizadas , MUITAS VEZES possuem mais elementos de Fe , Al . Mg e outros do que as AFFD e por isso se fossem classificadas nas mesmas condições das AFFD também não poderiam ser utilizadas. Imensos recursos financeiros atualmente utilizados para comprar areia de rios poderiam ser economizados pela comunidade ( prefeituras , estado e união ) . As empresas gastam fortunas ( que poderiam ser utilizadas em projetos ambientais ) para enviar para aterros . Um trabalho em conjunto com certeza é benéfico a todos. ( Meio Ambiente , Comunidade e Empresas ).

Slide 25

DEFINITIVAMENTE NÃO ESTAMOS AFIRMANDO QUE AFFD É UM MATERIAL QUE PODE SER DESCARTADO DE QUALQUER MANEIRA EM QUALQUER LUGAR. PELO CONTRÁRIO !!! Somente um trabalho sério de classificação, controle, rastreabilidade, normalização e esclarecimento a sociedade fará com que as AFFD possam vir a ser um subproduto útil para utilização em asfalto e construção common poupando recurso naturais do Meio Ambiente e financeiros.

Slide 26

An ABIFA e grande maioria das empresas do setor estão trabalhando duro e investindo para cumprir as regras e normas atuais , além de levantar dados e realizar estudos para demonstrar a viabilidade da utilização da AFFD como subproduto. Estamos buscando a conscientização e o apoio de todos para a busca do melhor caminho. An indústria precisa ter consciência que somente com o desenvolvimento de tecnologias de reutilização aliado com a segregação , classificação e armazenamento correto poderá pleitear um tratamento do tema de forma justa pela sociedade .

Slide 27

As ONGS, os Órgãos Ambientais, o Ministério Público e Ambientalistas precisam ter o pensamento de que somente com um trabalho em conjunto com dados precisos cientificamente comprovados pode-se estabelecer parâmetros para análises e tomadas de decisão sobre a melhor alternativa para que as AFFD possam colaborar com o Meio Ambiente e industria

Recommended
View more...