e-learning .


25 views
Uploaded on:
Category: Sales / Marketing
Description
e -learning. I WorkShop Ciências da Educação. F.P.C.E. Univ. Coimbra 4 de Abril de 2003. e -learning.
Transcripts
Slide 1

e - learning I WorkShop Ciências da Educação F.P.C.E. Univ. Coimbra 4 de Abril de 2003

Slide 2

e - taking in "A Sociedade da Informação é uma sociedade do primado do saber ou do saber disponível. An educação/formação necessita ser fortemente dinamizada e as novas tecnologias de comunicação devem ser levadas a todos os níveis de ensino de um modo sustentado. O conceito de educação ao longo da vida deve ser encarado como uma construção contínua da pessoa humana, dos seus saberes, aptidões e da sua capacidade de discernir e agir" ( in Livro Verde, 1997)

Slide 3

Novas realidades, novas necessidades Formação ao longo da vida Comunidades de e - learning Auto-formação Partilha de experiências Motivação

Slide 4

e - learning "(...) A formação baseada na Internet é uma realidade que vem acelerar e modificar o display do ensino à distância. É um processo de evolução social que terá impacto na maneira como as pessoas assimilam o Saber e a forma como podem, desde já, usar a tecnologia como um meio de se instruírem, tanto profissionalmente, como para cidadãos interessados no seu desenvolvimento pessoal. (...)" (Machado, 2001)

Slide 5

Concepção Modelo, Método, Ambiente, Conteúdos e Actualizações. Tutoria Acompanhamento pedagógico, Resposta a dúvidas e trabalhos. Avaliação Criação, Realização e Correcção dos testicles de avaliação. O teacher Desempenha funções que podem ser distribuídas em três áreas complementares:

Slide 6

O educator - aptidões D everá promover novas competências: Trabalho colaborativo Criatividade Multidisciplinaridade Adaptação Comunicação intercultural Resolução de problemas

Slide 7

Os formandos Actualmente são maioritariamente adultos; Autonomia, autodisciplina e responsabilidade; Motivados.

Slide 8

Os formandos Como adultos (M.Knowles) : Aprendem melhor quando o tópico é de valor imediato para o emprego ou vida pessoal; Necessitam de aprender fazendo; An experiência providencia as bases para actividades de aprendizagem; An aprendizagem deve ser centrada em problemas em vez de ser orientada aos conteúdos.

Slide 9

Professor e formandos "O aprendiz projecta an informação do futuro enquanto que o conhecedor consulta an informação do passado. O conhecedor armazena passivamente factos enquanto que o aprendiz aplica activamente o conhecimento. É necessário deixar o aprendiz construir o seu conhecimento e o educator passa a ser o assistente, facilitador e avaliador dessa construção ..." (Pereira, 1999)

Slide 10

e - learning – O que é? Utilização das tecnologias da Internet para fornecer à distância um conjunto de soluções para o aperfeiçoamento ou an aquisição de conhecimentos e da aplicabilidade prática dos mesmos (… )

Slide 11

Algumas características Comunicação entre o teacher e o aluno em duas vias; O educator e aluno separados durante a maior parte do processo de ensino; Um maior controlo da aprendizagem por parte do aluno; Aprendizagem síncrona: requer a participação simultânea de todos os estudantes e professores; Aprendizagem assíncrona: não requer a participação de todos ao mesmo beat.

Slide 12

Fenómeno da diferença não significativa; An organização e reflexão necessária para ensinar eficientemente à distância melhora o ensino do educator tradicional; O ensino convencional é percepcionado como melhor organizado e claro que o apresentado à distância. (Egan, 1991). EaD versus Ensino Convencional

Slide 13

Benefícios para o aluno Orientado às necessidades do aluno; Aprendizagem: ritmo é regulado pelo próprio; Espaço de aprendizagem: à escolha do aluno; Adequado ao estilo singular de aprendizagem; A qualquer altura em qualquer lugar; Conduzida pelo próprio ou mediada pelo teacher; Um servidor mantém o registos e portfólio do utilizador; Rico em recursos.

Slide 14

Algumas desvantagens Falta de contacto humano; Problemas técnicos; Falta de "infoformação" de professores e alunos; Custos e rhythm exigido ao educator; Optimização das plataformas; Certificação e guidelines; Avaliação e confidencialidade.

Slide 15

Professor Materiais Sistemas de interacção Tecnologia Avaliação Conhecedor Voz/Dados Alunos Informativo Scripto Pedagogo e - mail Formação Síncrono/Assíncrono Áudio Criativo Web Sistemas Vídeo Aconselhamento Facilitador Vídeo/Áudio Auto-ajuda Informático Multimédia Componentes estratégicos de EAD

Slide 16

Avaliação em e - learning É considerado que an avaliação deverá ser sistemática, caracterizada por três tipos de variáveis: An avaliação dos alunos/formandos (ou pedagógica); An avaliação da formação; An avaliação do sistema.

Slide 17

Plataformas Resumir a funcionalidade de uma plataforma de e-learning é unificar os três modos básicos de ensino: dizendo , fazendo e discutindo - (...). O resultado é a sala de aula virtual, um ambiente tendencialmente síncrono que simula uma tradicional sala de aula, conferência ou ambiente de um seminário. (Machado, 2001) Quando se cria um curso para e-learning é preciso ter em atenção, para além da componente pedagógica, a componente tecnológica, que no caso specific do e-learning inclui, a colocação de conteúdos on-line , an utilização do email e de funcionalidades como o talk , os fóruns e gestão de avaliação, and so forth. Estas funcionalidades podem ser integradas numa única aplicação a que se dá o nome de plataforma de e-learning. (ou LMS - Learning Management Systems ).

Slide 18

Plataformas

Slide 19

Instituição Sigla Endereço Web Universidade Aberta U.Aberta http://www.univ-ab.pt PROF2000 http://www.prof2000.pt Universidade Fernando Pessoa UFP http://www.ufp.pt UNAVE http://www.unave.pt Universidade do Minho U.Minho http://www.nonio.uminho.pt/Universidade de Aveiro U.A. http://www.cemed.ua.pt/ed/Universidade Católica UCP http://www.dislogo.ucp.pt Instituto de Formação Bancária IFB http://www.ifb.pt Instituto para Inovação da Formação INOFOR http://www.inofor.pt Portugal Telecom Inovação PT Inovação http://ptinovacao.pt Núcleo de Ensino-Aprendizagem à Distância NEAD http://www.estv.ipv.pt/dep/di/nead/e - learning em Portugal

Slide 20

O futuro... Seria útil e desejável que os intervenientes neste processo (especialmente os professores) fossem alertados para ultrapassarem o bloqueio psicológico em relação à máquina e aos seus programas sem se intimidarem e, ao mesmo beat, para acreditarem que an integração das TIC nos processos de ensino e de aprendizagem os podem ajudar sem nunca os substituir.

Slide 21

O futuro... Há portanto que apostar fortemente na formação de professores a distância, fornecendo-lhes novas competências e conhecimentos tecnológicos vocacionados para a comunicação e orientados para a gestão de turmas virtuais. (Este facto é também comprovado por um estudo efectuado pelo Centro de Competência Nónio, sobre an "Utilização das TIC pelos professores portugueses" - http://www.dapp.min-edu.pt/nonio/pdf/utilizacao_tic_profs.pdf )

Slide 22

"Os grandes problemas da utilização da Internet na educação não estão na Internet, estão na educação... An Internet é apenas um instrumento ao serviço da sociedade do conhecimento... An escola do futuro exige, acima de tudo, uma intencionalidade estratégica... Exige que nos mobilizemos para reinventar an Escola... Uma reinvenção centrada nos desafios dos conteúdos e dos contextos educativos, na investigação, na acção, na reflexão, na mobilização e na mudança social... O papel da Internet será o de auxiliar as nossas Escolas a construir de forma genuína e plenamente integrada a presença portuguesa na Sociedade do Conhecimento..." (Dias de Figueiredo, 1998)

Recommended
View more...