Segunda aula Responsabilidade social e Sustentabilidade CCN-410.002 Dra. Elisete Dahmer Pfitscher .


22 views
Uploaded on:
Description
Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Contabilidade Centro Sócio-Econômico Campus Universitário Trindade Caixa Postal 476 Cep: 88.040-900 Florianópolis SC Brasil. Segunda aula Responsabilidade social e Sustentabilidade CCN-410.002
Transcripts
Slide 1

Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Contabilidade Centro Sócio-Econômico Campus Universitário Trindade Caixa Postal 476 Cep: 88.040-900 Florianópolis SC Brasil Segunda aula Responsabilidade social e Sustentabilidade CCN-410.002 Dra. Elisete Dahmer Pfitscher  elisete @cse.ufsc.br 3721-9383; 3721-6667;3721-6665 3364-2028;8817-2019

Slide 2

Indicação Pedagógica da Disciplina CRS "Pedagogia diretiva" Menor proporção Não se trata somente de reprodução de conhecimento O educator é um auxiliar "Pedagogia não diretiva" O acadêmico já vem com um conhecimento Oportunizar a vivência de pesquisador Levar o indivíduo a conhecer

Slide 3

Indicação Pedagógica da Disciplina CRS Pedagogia relacional Agir e problematizar an ação Tudo aquilo que for construído pelo acadêmico patamar para construção do conhecimento Professor e aluno determinam-se mutuamente Reciprocidade do conhecimento

Slide 4

Referências ALVAREZ, Jesús Lizcano. La apuesta estrategica de la gestion contable medio ambiental. Diário Cinco Días, 29 jun. 1995. AZEVEDO, T. C. Balanço Social das Entidades: Elaboração, Padronização e Regulamentação. Material de apoio para o minicurso. In: V EBECIC, Vitória da Conquista, Bahia, maio 2006. (Artigo completo). BARBIERI, José Carlos. CAJAZEIRA, Jorge Emanuel Reis. Responsabilidade Social Empresarial e Empresa Sustentável: Da teoria à prática. São Paulo: Saraiva: 2009.

Slide 5

Referências BEUREN, I. M. O papel da controladoria no processo de gestão. Contro-ladoria – agregando valor para an empresa. São Paulo: Bookman Cia. Editora, divisão Artmed Editora S.A., 2002. CASAROTTO FILHO, N.; PIRES, L. H. Redes de pequenas e médias em-presas e desenvolvimento neighborhood: estratégias para a conquista da competiti-vidade worldwide com base na experiência italiana . 2. ed. São Paulo: Atlas, 2001. COLAUTO, Romoaldo Douglas. SANT\'ANA, Luiz Ernesto. BEUREN, Ilse Maria. SANTOS, Neri dos. O benchmarking como suporte ao sistema de inteligência competitiva em pequenas empresas. Enfoque-Reflexão Contábil, Maringá, v. 23, n. 1, p. 5 – 15, jan/jun. 2004.

Slide 6

Referências DALLABRIDA, V. R. Sustentabilidade e Endogenização como Princí-pios Balizadores do Desenvolvimento Regional: Análise da Estratégia de Desenvolvimento Proposta para a área da Bacia do rio Uruguai. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 1998. DOSSING et al. Agrupamentos de responsabilidade corporativa: alavan-cando a responsabilidade corporativa para atingir benefícios competitivos nacionais. São Paulo: 232 Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, 2002. FERREIRA, A. C. de S. Contabilidade ambiental in Controladoria: agre-gando valor para an empresa. São Paulo: Bookman Cia. Editora, divisão Art-med Editora S.A., 2002. FLORES, M.; NASCIMENTO, J. Impactos ambientais e sustentabilidade da agricultura brasileira: Uma visão da pesquisa. Trabalho apresentado no Simpósio Internacional sobre Ecologia e Agricultura Sustentável nos Trópicos – Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, n. 3-6, fev. 1992.

Slide 7

Referências GOUVEIA FILHO et al . Responsabilidade Social: Um Enfoque sobre o Ba-lanço Social da.Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. 18o Congresso Brasileiro de Contabilidade. Gramado: 18o Congresso Brasileiro de Contabilidade: 2008. INSTITUTO ETHOS. Guia para elaboração de balanço social e relatório de sustentabilidade. São Paulo. Disponível em: <http://www.ethos.org.br/_ Uniethos/Documents/GuiaBalanco2007_PORTUGUES.pdf>. 2007. LERÍPIO, A. de Á. GAIA – Um método de gerenciamento de aspectos e impactos ambientais. 2001. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

Slide 8

Referências LITLLE, P. Agropolos e Meio Ambiente: A dimensão conceitual. In : Agro-polos, uma proposta metodológica. Brasília: Abipti, 1999 MACHADO FILHO, C. P. M. Responsabilidade Social e Governança: O Debate e as Implicações. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 2006. MARCHEZE, N. M. Benchmarking para cursos de nível unrivaled: Uma aplicação no curso de química modern da Univille – Santa Catarina. 2004. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de San-ta Catarina, Florianópolis, 2004. MARION, J. C. Contabilidade e Controladoria em Agribusiness. São Paulo: Atlas, 1996. MEDEIROS, J. X. Inserção de políticas publicas no processo de desenvolvimento territorial e do agronegócio . In: Agropolos, uma proposta metodológica. Brasília: Abipti, 1999. 

Slide 9

Referências MIRANDA, L. C.; SILVA, J. D. G. da. Medidas de desempenho . In: Contro-ladoria – agregando valor para an empresa. São Paulo: Bookman Cia. Editora, divisão Artmed Editora S.A., 2002. NAKAO, Silvio Hiroshi; VELLANI, Cássio Luiz. Investimentos ambientais e redução de custos. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 3. Anais... São Paulo, 2003. OLIVO, C. J. Sustentabilidade de condomínios rurais formados por pequenos agricultores familiares: Análise e proposta de modelo de gestão. 2000. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000. PAIVA, R. P. de. Contabilidade Ambiental. São Paulo: Atlas, 2003.

Slide 10

Referências PFITSCHER, E. D. Gestão e sustentabilidade através da contabilidade e controladoria ambiental: estudo de caso na cadeia produtiva de arroz eco-lógico. 2004. 252 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Curso de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004. ______________Novas tendências de sustentabilidade das peque-nas propriedades rurais com an Agricultura Biodinâmica . 151 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2001. PIMENTEL, Alessandra. O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Departamento de Psicologia Social e Institucional da Universidade Estadual de Londrina – PR . Londrina, 2001 PORTER, Michael. The upper hand of countries . Oxford: Ox-passage University Press, 1990.

Slide 11

Referências QUARTANA, P . Economia de Comunhão. São Paulo: Cidade Nova, 1992. QUARTANA, P. A. Economia de Comunhão do pensamento de Chiara Lubich. In: Economia de Comunhão: propostas e refexões para uma cultura da partilha, a cultura do dar. São Paulo: Cidade Nova, 1992. 207p. top. 1, p. 11-22. QUARTANA, P. et al . Economia de Comunhão. Trad. por Maria de Almei-da e João Batista Florentino. São Paulo: Cidade Nova, 1992. RAUPP, E. H. Desenvolvimento sustentável: a contabilidade num contexto de responsabilidade social de cidadania e de meio ambiente. Revista de Con-tabilidade, São Paulo, 2002.

Slide 12

Referências RAUPP, Fabiano Maury; BEUREN, Ilse Maria; LONGARY, André Andrade; SOUZA, Marco Aurélio Batista de; COLAUTO, Romoaldo Douglas; PORTON, Rosimere Alves de Bona. Como Elaborar Trabalhos de Monografias em Contabilidade . In: BEUREN, Ilse Maria. (Organization.). Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências Sociais: Raupp e Beuren. São Paulo: Atlas, 2003. (Top. 3, p. 80 - 83). RIBEIRO, Maisa de Souza. Custeio das atividades de natureza ambiental . 1998. 241 f. Tese (Doutorado em Contabilidade) – FEA/USP, 1998.  SORGI, T. A cultura do dar. In: Economia de Comunhão: projeto, refe-xões e propostas para uma cultura da partilha. 2. ed. São Paulo: Cidade nova, 1998.

Slide 13

Referências SORGI, T.; GUI, B.; FERRUCCI, A. Economia de Comunhão: Projeto; refexões e propostas para uma cultura da partilha. Trad. por José Maria de Almeida, João Batista Florentino e Rui Costa. 2. ed. Vargem Grande Paulista: Cidade Nova,1998. SOUZA, M. F. Contabilidade Ambiental: Um estudo sobre sua importân-cia e aplicabilidade em empresas brasileiras. Trabalho de iniciação científca, apresentado pelo Grupo de Estudos e pesquisas em contabilidade. Campinas: Pontifícia Universidade Católica, 2001 . TACHIZAWA, T. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Corporati-va: Estratégias de Negócios Focadas na Realidade Brasileira. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 2004.

Slide 14

Referências TINOCO, J. E. P.; KRAEMER, M. E. P. Contabilidade e Gestão Ambiental. São Paulo: Atlas, 2004. TINOCO, J. E. P. Balanço Social: uma abordagem da transparência e da responsabilidade pública das organizações. São Paulo: Atlas, 2001. THOMPSON JR., A. A.; STRICKLAND, A. J. Planejamento estratégico: elaboração, implementação e execução. São Paulo: Pioneira, 2000. VIEIRA, P. M. Caracterização básica dos agropolos. In: Agropolos, uma proposta metodológica. Brasília: Abipti, 1999.  VIEIRA, P. M.; ROSA, D. S.; PEREIRA, J. R. Enfoque de Planejamento Participativo. In: Agropolos, uma proposta metodológica. Brasília: Abipti, 1999.

Slide 15

Referências www.ibase.org.br www.nemac.ufsc.br Empirical Identification of Corporate Enviromental Strategies Ökologische Modernisierung, Umweltmanagement und Organisationales Lernen Umweltkennzahlen und ökologische Benchmarks als Erfolgsindikatoren für das Umweltmanagement in Unternehmen der baden-württembergischen Milchwirtschaft

Slide 16

Referências INTERNACIONAIS ANTHEAUME, N. Esteeming outer expenses - from hypothesis to practice: suggestions for full cost natural bookkeeping. European Accounting Review , v. 13, n. 3, p. 443-464, 2004. BARTOLOMEO, M. et al. Natural administration bookkeeping in Europe: current practice and future potential. European Accounting Review ,

Recommended
View more...